2 de fevereiro de 2010

Sabato, Domenica e Lunedi



Essa história é bem antiga, mas vez ou outra gosto de recontá-la, pois trata-se de uma cara que mora no meu coração.

Um dia fui a um restaurante em Niterói (Da Carmine)
e comi um Tagliatelli ao Pomodoro Basílico, de comer ajoelhado e rezando.

Pedi para chamar o chef, e quis beijar-lhe a mão. Perguntei como ele fazia aquele belíssimo molho!
Bruno desconversou.

Voltando lá outras vezes, fomos nos tornando amigos, um dia mandei uma berinjela pra ele experimentar e aproveitei pra perguntar novamente sobre o molho...
A belíssima Nápoles dá um toque especial e acolhedor ao filme, com sua fotografia fabulosa.
A história começa mansa, mas com um delicado toque de loucura comum aos italianos, tudo começa no sábado, com a escolha dos ingredientes para o preparo do famoso e disputado Ragú.
Ragú significa cozimento lento, é um prato típico


Calabrês dos bons, ele já sabendo que eu gosto da Sophia Loren começou a falar de cinema.

E me sugeriu assistir a esse filme "Sabato, Domenica, Lunedi".

Eu pensei:

"Mas que italiano sem vergonha, mudou de assunto, ou está de gozação comigo".

Eu já perdi a conta de quantas vezes já assisti a esse filme.

Na minha opinião, um clássico da tragicomédia italiana, Sophia Loren como sempre brilha no papel de Rosa Priore.
A belíssima Nápoles dá um toque especial e acolhedor ao filme, com sua fotografia fabulosa.
A história começa mansa, mas com um delicado toque de loucura comum aos italianos, tudo começa no sábado, com a escolha dos ingredientes para o preparo do famoso e disputado Ragú.

Ragú significa cozimento lento, é um prato típico

italiano onde se leva um dia todo ou quase todo apurando o molho, como o próprio nome diz, cozinhando lentamente.

Na ida de Rosa ao açougue e a feira já sentimos a italianice no sangue, todas as mulheres estão presentes no açougue e discutindo qual o melhor ragú.

O de uma tem lingüiça, o da outra, presunto, e uma falando mal do preparo da outra... Rosa já mostra a que veio, e também que bom italiano não nega a raça.


Sophia Loren interpreta magistralmente
a personagem Rosa, que comanda a casa, a cozinha, manda nas empregadas, dá ordens aos filhos, mas não larga seu posto de mama.

Ao mesmo tempo em que ela esconde uma insatisfação e uma mágoa com o marido Pepino, ela demonstra seu amor no olhar profundo e tocante de Sophia.

Enquanto escolhe,
pica e refoga os ingredientes do Ragú, Rosa ainda prepara o minestrone (uma sopa famosa com muitas variações onde os ingredientes básicos são: muitos vegetais e macarrão) para o jantar do sábado.

Na verdade, a história além de mostrar o cotidiano de uma família italiana em Nápoles, mostra também ressentimentos escondidos, desconfianças e um desejo oculto de vingança pelo marido.

O marido acha que a mulher está de caso com um professor que é amigo da família, e esse professor é o convidado, ou melhor, um dos convidados para o disputado "guisado" como eles chamam.

O ponto important
e dessa tragicomédia é que tudo gira em torno do preparo do Ragú, da cozinha e dos regalos da vida.

Coisas ocultas e sentimentos escondidos vão atormentando esse casal.

O preparo é mostrado em detalhes, para aqueles que já tem alguma afinidade na cozinha fica fácil aprender essa iguaria italiana.

No domingo, ainda em meio à confusão e as desconfianças do marido e com a presença do professor Janelli, ocorre o que todo mundo sabe que acontece nos melhores almoços italianos.

A briga!

O choro, o dramalhão e o escândalo.

E o Ragú, quase esquecido na mesa.

Os detalhes da preparação e da arrumação do almoço de domingo, são um evento para toda família e nenhum detalhe pode ser esquecido.

E como boa família italiana, depois do choro as pazes na segunda-feira.

Impressionante é o que anda por trás da mágoa da mulher.

O elogio que seu
marido Pepino fez a nora!

Sim, um elogio a seu macarrão a siciliana com berinjelas fritas.

Isso para qualquer mama de respeito pode significar a morte.

Todos podem cozinhar bem, mas a mulher e mama sempre têm que ser a melhor.

O marido e os filhos jamais podem dizer que a comida de outra mulher é melhor do que a dela.


Mas tudo termina bem.

Todos em paz e se reunindo em outro belíssimo Ragú.

E com tudo isso aprendi a fazer o molho do Chef Bruno.

Voltei lá e disse a ele:

Adorei o filme e aprendi a receita, mas infelizmente não tenho nenhum filme pra te indicar para que aprendas a minha berinjela.

Bruno perdeu sua receita pra mim.

Mas "siamo amici".
Aqui a receita do famoso Ragú de Carne:


100 ml. de azeite de oliva
100 gr. de manteiga
1 cebola pequena picada
1 cenoura em cubos

2 talos de salsão, em cubos pequenos
400 gr. de carne moída ou ou peça inteira (acem, linguiça ou cordeiro)
200 ml. de vinho tinto seco de qualidade
500 ml. de purê de tomate
100 gr. de queijo parmezão ralado
½ lt. de caldo de carne
manjericão fresco

sal e pimenta do reino
noz-moscada

Preparo:

Refogue a cebola na metade do azeite e da manteiga até estar levemente dourada, adicione a cenoura e o salsão e refogue muito bem. Refogue a carne no azeite e manteiga restantes e deixe dourar. Acrescente o vinho e conserve em fogo alto até evaporar. Junte a carne ao refogado de legumes e conserve em fogo baixo para mesclar os sabores. Incorpore os tomates e cozinhe em fogo baixo por aproximadamente 3 horas, mexendo sempre e adicionando um pouco de caldo de carne se necessário.

Retifique o tempero, adicione a noz moscada ralada e adicione o manjericão.

O massa fica por conta do gosto do cliente, eu adoro um tagliatelli ou fetuccine.


Evidentemente esse ragú de Bruno Marasco me remeteu a infância, onde o filme era quase que uma cópia fiel dos meus fins de semanas infantis.

Minha avó, a quem devo o amor a gastronomia, e minha mãe, quem fez questão de incentivar a cultura, a leitura, a música as artes, e principalmente o estudo.

O da minha avó ficava 18 horas.

Mas se você fizer essa receita, tenho certeza que saberá do que é que estou falando.

2 comentários:

Santa Gastronomia disse...

Ma fia!!
Acredita que até hoje ainda não vi esse filme??!!!
Que pecado!
Bjus..

pimentacalabresa disse...

Fiquei curiosa de ver o filme! Agora só falta filmar a receita da beringela! ;-)
Bjs

Postar um comentário

Deguste!!! Fique a vontade. Mas evite comentários ofensivos, não use palavrões. Esse espaço é de alegria.